terça-feira, 2 de outubro de 2012

Como

Salada de soja em grão, quinoa, cenoura e passas
Tomada a decisão de enveredar pela dieta vegetariana, chegou a altura de pensar em como me alimentar nesta nova fase. Mesmo antes do vegetarianismo entrar na minha vida, já tentava ter opções mais saudáveis evitando o excesso de carnes vermelhas, sobretudo porco, enchidos e queijo até porque tive um problema no estômago com a bactéria H. Pilory que só ficou resolvido com uma mudança radical na alimentação após a consulta com um naturopata. Por isso acredito realmente na máxima “Somos aquilo que comemos”. Podemos ter uma ótima ou má saúde conforme os alimentos que consumimos e a forma como os ingerimos. Não bebo leite desde os 11 anos, após vários anos de enjoo pela manhã a minha mãe libertou-me finalmente deste fardo. Portanto, para mim não foi nada difícil abdicar da carne e praticamente abolir todos os derivados do leite. 

Inicialmente procurei literatura e livros de receita vegetarianos. A maior parte dos livros não me satisfizeram pois nas receitas utilizavam demasiados lacticínios e ovos e desconfio que se seguisse essas receitas acabava por ter o colesterol nos píncaros… O que me valeu foram os blogues amigos, os conselhos das minhas manas do coração, a Rute e a Isabel, um pouco de bom senso e muita pesquisa que continuo sempre a fazer. Cheguei à conclusão que agora penso muito mais naquilo que como e de que ser vegetariano não é sinal de desequilíbrio alimentar, o risco de se ficar carente nutricionalmente pode acontecer em qualquer tipo de dieta se não se variar os alimentos e ingerir demasiados alimentos perigosos.
Não descarto a possibilidade de procurar a ajuda profissional de um nutricionista, até porque pretendo realizar algumas análises para ver se está tudo em ordem com a minha saúde, só não o fiz até agora porque sinto-me bem, inclusive alguns incómodos que habitualmente tinha desapareceram, não sei se por coincidência ou não. Durante este ano não senti nenhuma vez dores no estômago, não tive qualquer crise de fígado ou vesícula (tenho cálculos biliares), não tive as habituais alergias ao pólen não tendo sido necessário recorrer a nenhum anti-histamínico. Aliás as poucas vezes que recorri a um comum analgésico (daquela marca de venda livre que até os bebés e as grávidas tomam) foi para curar umas dores de cabeça ocasionadas pelo stress, que disso infelizmente ainda não consegui livrar-me.

Verifiquei que a chave é a combinação de alimentos para nos fornecer os nutrientes necessários e por incrível que pareça o corpo “pede” estas combinações. Por exemplo, hoje em dia sinto frequentemente vontade de comer laranjas, tangerinas ou quivis depois das refeições que normalmente incluem leguminosas (ricas em ferro), e descobri que uma fonte de vitamina C na mesma refeição com alimentos ricos em ferro ajuda na sua síntese. Uma combinação perfeita: cereal + leguminosa + fruta

No início utilizava alguns produtos pré-confeccionados que existem nas grandes superfícies como salsichas e enchidos de soja, alheiras vegetarianas, burgers, iogurtes de soja, tofu, proteína texturizada de soja (carne de soja), seitan, etc. Já quase não consumo este tipo de produtos. Prefiro fazer os meus próprios burgers com ingredientes que facilmente encontro, que congelo e assim tenho uma refeição pronta num instante. Confecciono o meu tofu e queijo vegetal. Procuro os alimentos na forma mais simples, sem processamento e tento que sejam biológicos, tenho a sorte de ter muitos produtores locais e dos meus pais cultivarem uma horta para consumo da família.

Concretamente a minha alimentação resume-se ao seguinte:
Pequeno-almoço
Pão integral com manteiga de soja ou compota caseira. Estou a tentar substituir esta manteiga (um dos últimos produtos processados que consumo) por pastas de oleaginosas (como a manteiga de amendoim, de amêndoa…). Também costumo consumir com regularidade papas de cereais, como aveia, cevada, quinoa, trigo sarraceno, principalmente depois de ter descoberto esta receita de papas de aveia, da Sandra, do Papacapim e esta, de trigo sarraceno da Rute, do Publicar para Partilhar às vezes faço uma mistura de cereais. Estas papas sustentam bastante, tiram a fome até o almoço.
Papas de aveia e chia
 Os lanches entre as refeições são constituídos por frutas, frutos secos (amêndoas, castanha do Brasil, nozes, avelãs, figos secos..) e bolachas simples(uma tentação que quero abolir…).
O almoço, como tenho pouco tempo, pode ser constituído por uma fast food saudável, uma sanduíche de legumes assados, sopa e fruta, um burger no pão com alface e tomate, uma salada de leguminosas da véspera…

Este foi o meu almoço de hoje: Pão com burger de feijão vermelho e quinoa, nesta deliciosa receita da Márcia, do Compassionate and Passionate Cuisine
Burger de feijão vermelho e quinoa
Para o jantar posso preparar algo mais reconfortante como um estudado de legumes, um salteado de couves, tofu mexido, massa com legumes… 

Ensopado de batata, grão e algas
Para as ocasiões especiais, como os almoços de domingo, posso optar por um assado, um arroz de forno ou algo mais elaborado.

Assado de avelãs, receita aqui no blogue
Abóbora recheada, receita aqui no blogue
Bolinhos de feijão preto e aveia, salsa de manga e tabule de quinoa, desta receita da Sandra do Papacapim

Salada de feijão preto e manga, desta receita da Sandra do Papacapim
Fusili com favas e alho francês, receita daqui do blogue
Dobrada vegetariana, receita d'A Isabel Matos da Escola é Bela, receita aqui no blogue

Alguns sítios inspiradores em português.
Nota: Alguns destes blogues que indico não são veganos ou mesmo vegetarianos, mas publicam receitas vegetarianas regularmente.
- A Escola é Bela(não é de culinária, mas ensina…)
- Cozinhando com Josy (colega das segundas sem carne)
- Simples assim (colega das segundas sem carne)

Tudo aquilo que escrevi hoje sobre alimentação vegetariana partiu da minha experiência, de informações dadas por amigos e pesquisa em literatura e sites da especialidade.

14 comentários:

  1. Não sou vegetariana, mas este seu cardápio me encheu a boca, que delícia, vou testar algumas receitas, sem me permite.
    bjo

    ResponderEliminar
  2. Acabei de almoçar, mas estas fotos todas conseguiram fazer-me água na boca!A abóbora recheada, então, está linda :)
    Admiro esta tua decisão de te tornares vegetariana. Apesar de conseguir imaginar a minha vida sem carne, seria um sacrifício eliminar o meu peixinho.
    Como tu, também tenho a sorte de consumir legumes biológicos, da hora do meu pai ^^ Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Lina, tanta coisa para te dizer que na*o cabe aqui... Vou ver se te escrevo :)
    Por vezes cometen-se enormes erros no que toca ao vegetarianismo, e a maior partes dos livros sa*o muito repetitivos e incluem muitos queijos e coisas do género... O que pode deixar as pessoas confusas... Cabe-nos a nós bloggers fazer a diferenc,a! Beijinho grande*

    ResponderEliminar
  4. Excelente texto informativo! E obrigada por teres incluído uma das minhas receitas :)
    Identifiquei-me muito com a tua alimentação e história, pois sempre me senti muito bem com uma dieta vegetariana :)
    E quanto aos livros que andam por aí, é bem verdade, eu encontrei imensa ajuda e apoio não foi de certeza nos livros mas sim na internet em blogs (e foi por isso que criei o meu).

    Acho que acima de tudo este texto está perfeito para as pessoas que ainda tem incertezas e dúvidas quanto a este género de alimentação e espero que encoraje os mais cépticos a mudar.
    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  5. Lina,
    acho que escreveria aqui imenso hoje :)
    Publiquei hoje algo para a semana vegetariana (embora como ovo-lacto-vegetariano), e aproveito para agradecer o teu carinho e por me mencionares hoje. Embora não seja vegetariana, gosto de fazer refeições saudáveis.
    Pois, quando se vêem alguns livros vegetarianos, há receitas carregadas de fritos, gorduras, ovos e natas...e não é nada disso que queremos. Gostei de ler o teu texto, fiquei a saber um pouco mais. E é através de blogs como o teu que vou aprendendo algumas dicas para uma alimentação saudável.
    Tenho uma horta que também já ajuda!
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  6. Olá Lina,
    Vi um comentário teu no "Ananás com hortelã" e fiquei com vontade de vir conhecer o teu blog. Vou voltar cá para levar algumas receitas destas saudáveis que apresentas e que quero incluir com mais frequência cá em casa.
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Querida Lina,
    uma postagem perfeita, cheia de informações maravilhosas!
    Amei a seleção de cardápio cada prato mais lindo e saudável
    que o outro, bom demais!

    Beijos e ótima semana!

    ResponderEliminar
  8. Olá Lina
    Eu não sou vegetariana, mas gosto de comer de vez em quando num restaurante vegetariano perto do serviço :-) e estas suas sugestões ficaram no olho, muito boas :-)

    ResponderEliminar
  9. Nunca comi comida vegetariana, mas tenho alguma curiosidade em alguns comeres mas sem conhecimento de causa é complicado... mas estes comeres tem um aspecto delicioso.

    Bjs

    As Papinhas dos Babinhos

    ResponderEliminar
  10. Lina é engraçado, muitas pessoas quando mencionam uma refeição vegetariana torcem o nariz, pois bem, eu ao contrário, sou grande apreciadora de legumes, hortaliças e alguns grãos. Gostaria muito de apreciar a soja, ainda está dificil, um queijo que aprendi a gostar foi o tofu, sabendo prepará-lo fica delicioso. Essa sua seleção de receitas aqui apresentadas, estão com um aspecto delicioso, adorei o ensopado de batatas, o assado de avelãs hummmmm, esse fusili com favas estão bem do meu agrado, com certeza eu comeria com prazer. Beijocas

    ResponderEliminar
  11. Lina, Uau!!! Ena que aqui está uma participação e tanto a honrar a semana vegetariana! Porque, Como, Quanto... um testetemunho real recheado de informação detalhada, bem, fez-me relembrar aquele livro que poderíamos escrever "a três" ;)
    Mil beijinhos e bela semana vegetariana, que vai continuar decerto bem ativa aqui neste blog!
    Isabel

    ResponderEliminar
  12. Devem ser uma delicia estas comidinhas, pelo menos têm muito bom aspecto :)

    ResponderEliminar
  13. Nossa, que honra pro Papacapim ter inspirado tantas refeições na sua casa:) Achei os comentários aqui muito interessantes. É engraçado como muitas pessoas começam dizendo "não sou vegetariano, mas...", como se pra apreciar comida vegetal fosse necessário ser vegetariano, ou como se comida vegetal fosse algo tão (não sei...) estranho ou diferente que só é capaz de agradar vegetarianos. Mas o que mais me intrigou foi uma pessoa ter afirmado "nunca comi comida vegetariana". Será possível que em Portugal tem carne em absolutamente todas as refeições e pratos? Essa pessoa não come pão, arroz, sopa de legumes, salada de tomate, frutas? Porque isso tudo é vegetariano (vegano, na verdade)... Isso mostra o quanto o vegetarianismo é visto como algo exótico e longe da realidade da maioria dos onívoros, quando na verdade comida vegetariana faz parte da vida de todo mundo, só as quantidades que mudam. Que ótimo que pessoas como você estão ajudando a desmistificar a culinária vegetal e mostrar que comida vegetariana pode ter tão simples quanto uma maçã, ou tão sofisticada quanto assados de avelã, mas que está longe de ser algo "esotérico".

    ResponderEliminar