Mostrar mensagens com a etiqueta Feijão. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Feijão. Mostrar todas as mensagens

sexta-feira, 16 de Novembro de 2012

Bolinhos de abóbora e feijão - BC Comer Bem para Viver Melhor

Bolinhos de feijão e abóbora
Desde que vi esta receita de bolinhos de feijão preto no blogue Papacapim tenho-a feito muitas vezes e experimentado outras combinações de feijão e legumes.

Bolinhos de feijão preto, refeição exatamente copiada daqui
O acompanhamento que nunca deixo de fora quando uso o feijão é a salsa de manga, que como diz a Sandra: "manga e feijão preto foram feitos um para o outro". Estes bolinhos compõem o meu novo prato favorito. Preparei esta versão com abóbora para participar na BC Comer Bem para Viver Melhor e também porque é um legume que atualmente tenho em abundância aqui em casa. Esta receita também é ótima para congelar e depois aquecer(no forno ou microondas) quando a pressa poderia ser inimiga de uma boa refeição, mas não quando existem estes bolinhos no congelador. O feijão que utilizei aqui foi o catarino(riscadinho) mas poderia ser qualquer outro. Uso feijão seco, que depois de escolhido e lavado deixo demolhar de um dia para o outro. Escorro, lavo novamente, coloco na panela de pressão com água fria(não coloco sal) e quando a panela começar a ferver conto 20 minutos. Normalmente cozinho 1/2 quilo de cada vez e guardo em potinhos no congelador e aproveito a água da cozedura para a sopa e neste caso para os bolinhos.

Bolinhos de abóbora e feijão
15 bolinhos
Ingredientes:
1 cebola grande picada
3 dentes de alho picadinhos ou amassados
1 chávena(chá) de abóbora picada em cubinhos
1/2 pimento vermelho picado em ubinhos
2 chávenas(chá) de feijão cozido
1 1/2 chávenas (chá) da água da cozedura do feijão ou água pura
1 chávena(chá) de aveia em flocos
1/2 chávena(chá) de quinoa em flocos(pode usar aveia em flocos)
2 colheres(sopa) de molho de soja
1 colher(café) de cominhos em pó
1/2 colher (café) de sementes de coentros em pó
1/2 colher(café) de páprica suave
Salsa e cebolinho picados
Pimenta preta
Sumo e raspa de 1/2 limão
Azeite e sal a gosto
Preparação:
Em uma panela aqueça 1 colher de sopa de azeite e junte a cebola até dourar. Junte o alho e refogue. Junte o pimento e a abóbora. Tampe a panela e deixe os legumes amolecerem. Acrescente o feijão cozido, as especiarias, o molho de soja e o sal(coloque pouco é preferível ir acrescentando aos poucos), mexa bem com uma colher de pau, amassando alguns grãos de feijão. Junte a aveia, a quinoa(se usar) e a água da cozedura do feijão ou água pura. Deixe cozer até a aveia amolecer e inchar. Se o líquido se evaporar e a massa começar a pegar ao fundo da panela vá juntando mais líquido aos poucos. Quando a mistura estiver consistente e desprender do fundo da panela desligue o fogo. Junte a salsa, o cebolinho, as raspas de limão e o sumo. Prove e retifique temperos se necessário e deixe esfriar. Unte forminhas de muffins com azeite ou use as de silicone(foi o meu caso) e encha com a mistura. Coza em forno quente(170ºC) até ficarem douradinhos e descolarem da forma facilmente. Ficam com uma casquinha firme por fora mas macios por dentro. Segundo a Sandra, também dá para fazer no formato de burgers, virando a meio da cozedura. Eu ainda não experimentei esta maneira.
Sirva os bolinhos(ou burgers) quentes e acompanhados com a salsa de manga(eu recomendo!)
Faço a versão da salsa que está  aqui com a receita dos bolinhos. Quando faço os bolinhos com feijão preto procuro usar coentros, se for com outro tipo de feijão uso a salsa e/ou cebolinho. Nesta zona do país o coentro não é muito utilizado, mas como o feijão preto, a manga e o coentro fazem uma combinação perfeita que procuro manter (uma surpreendente descoberta com as maravilhosas receitas da Sandra), então, nesse caso, esforço-me para encontrar os coentros. A salsa para acompanhar os bolinhos de hoje levou salsa, cebolinho e sumo de lima.

Salsa de manga e lima
para 1 refeição
1/2 manga pequena madura e firme, cortada em cubinhos
1 colher(sopa) de cebola picada
1 punhado de salsa e cebolinho picadinhos
Sumo de 1/2 lima pequena
1 pitada de sal e um fio de azeite.
Misture tudo e sirva com os bolinhos.

Acompanhei ainda com:
Repolho salteado com maçã
2 porções
Ingredientes:
1 repolho pequeno cortado em juliana
1 maçã pequena cortada em pedacinhos
1 dente de alho picadinho
1 fio de azeite
sal e pimenta preta a gosto
Preparação:
Aqueça o azeite numa frigideira, adicione o alho e deixe dourar levemente.Junte a maçã e mexa até ficar mole e começar a caramelizar. Junte o repolho e deixe murchar. Tempere com sal e pimenta preta.


Com esta sugestão participo na BC - Comer Bem para Viver Melhor.
Mais participações aqui e aqui no blogue da Josy
Veja como participar aqui.


quinta-feira, 3 de Maio de 2012

Salada de feijão frade, tofu e algas

A salada de feijão frade com atum é um clássico da cozinha prática portuguesa, que já não faz parte da minha ementa, mas não deixa de ser uma combinação que sempre funcionou bem e resolvi transpor "a ideia" para esta salada. Na verdade quem deu o "clic" para que isto acontecesse foi a minha filha, ao deparar-se com o tofu preparado para esta receita: Mamã, isto é atum? Então desde aí, esta combinação ficou mentalmente guardada até que a reproduzi. Utilizei alga marinha wakame que transmitiu um sutil sabor marinho ao tofu. Não é uma salada de atum, mas na minha opinião ficou ainda melhor, quanto mais não seja porque o atum continua a nadar no mar...

Esta receita serve bem 2 pessoas.
Comece preparando o "tofum":
1 mão cheia pequena de alga wakame
1 chávena de chá de água
125 grs de tofu natural
1 pitada de cominhos
1 colher de sobremesa de levedura de cerveja em pó
1 colher de café de alho em pó
pimenta preta e sal fino
azeite extravirgem
Retire o veio duro das folhas de wakame e coloque-as de molho na água por alguns minutos. Entretanto esmigalhe o tofu com um garfo, junte os restantes ingredientes(exceto o azeite) e 2 colheres de sopa da água em que demolhou a alga. Misture bem e reserve. Escorra e esprema as folhas de wakame e pique-as as pedaços. Junte ao tofu e misture. Coloque uma frigideira anti aderente ao lume e regue com um fio de azeite. Junte o preparado de tofu e algas e salteie por 5 minutos. Retire do lume e deixe arrefecer.

Entretanto coloque numa taça:
2 chávenas de chá de feijão frade cozido e frio
1/2 cebola picada em pedaços pequeninos
1 ramo de salsa picado
sal, pimenta preta, vinagre e azeite extravirgem 

Junte a mistura de tofu fria, retifique os temperos e sirva.

Acompanhei com uma salada de alface, rúcula, azeda, tomate e azeitonas pretas.



domingo, 19 de Fevereiro de 2012

Domingo gordo, nem tanto assim...

Cá em Portugal chama-se gordo ao último domingo antes da entrada na Quaresma. Neste dia, assim como na terça-feira de Carnaval as refeições à base de enchidos e carne de porco são frequentes, como se fosse uma despedida, uma vez que no período quaresmal, para os católicos, há(pelo menos supõe-se!) uma maior contenção no consumo de carne. 
Esta vai ser a minha primeira Quaresma vegetariana, e embora eu não seja muito ligada a estas tradições, quis entrar no clima "gordo" e fiz uma feijoada para ninguém botar defeito, uma verdadeira delícia, com a vantagem de não sentir o habitual peso no estômago depois da feijoada tradicional. 
O almoço terminou em grande com uma sobremesa, que terá uma publicação à parte e só estou a mencionar o facto, para vocês ficarem curiosos(as), ah, ah, ah!
Afinal é Carnaval e ninguém leva a mal!

Outras feijoadas vegetarianas já publicadas por aqui:
Feijoada vegetariana do Hallowen
Dobrada vegetariana

Feijoada de cogumelos(2 pessoas)
1 cebola pequena
2 dentes de alho
1/2 pimento verde
1/2 pimento vermelho
1 cenoura
150grs de cogumelos pleorotus cortados em tiras grossas
1 salsicha de soja (opcional)
1 1/2 chávena de feijão catarino(ou outro de sua preferência) cozido
Azeite, 1 folha de louro, sal, pimenta preta, noz moscada, açafrão e cominhos
Para o acompanhamento:
Arroz branco
Couve galega salteada
Laranja às rodelas(importantíssima fonte vitamina C para captar o ferro do feijão e couves)
Amêndoas moídas para polvilhar o feijão(também pode-se usar farinha de mandioca)

Preparação:

Pique a cebola e o alho para um tacho. Acrescente a cenoura e os pimentos cortados em cubinhos e a salsicha(se usar) às rodelas. Regue com um fio de azeite e leve ao lume até a cebola dourar. Acrescente os cogumelos cortados em pedaços. Junte o louro e restantes temperos a gosto. Cubra com a tampa e deixe estufar um pouquinho. Do feijão, retire 2 colheres de sopa e reserve, junte o restante à mistura do tacho. Esmague com um garfo os feijões que reservou e junte ao preparado, para que o caldo torne-se mais apurado. Junte água, se necessário e rectifique temperos. Cozinhar até que esteja apurada. Deixe descansar 5 minutos antes de servir.
Para o acompanhamento, arranje as couves e corte-as em juliana. Aqueça uma frigideira, acrescente um fio de azeite e 1 dente de alho picado. Junte a couve, deixe murchar, tempere com sal e pimenta preta e sirva.
 

terça-feira, 1 de Novembro de 2011

# 13 Segunda sem carne


Esta segunda feira é especial. Nos países anglo-saxónicos comemora-se o Halloween ou como se diz por estas paragens, o Dia das Bruxas. Por aqui já se vê algumas pessoas disfarçadas, montras de lojas decoradas e tenho cá uma bruxinha que anda a pregar-nos uns sustos. Na televisão, é a noite dedicada aos filmes de terror. E por coincidência esta é a 13ª semana sem carne a ser publicada, tendo este número, para alguns,  conotações assustadoras. Quem não se lembra da série de terror: Sexta-feira 13?


Festa do Dia das Bruxas que fiz há 2 anos para comemorar o aniversário da minha filha
Hoje também se comemora o Dia da Poupança. Como é possível juntar isto tudo, numa segunda feira sem carne. Para mim, que gosto de ligar coisas aparentemente desconexas, não foi nada difícil!

Ontem ao almoço fiz uma feijoada, e para contrariar, nada aterrorizante, pois nela não se viu nada estranho a boiar, tipo: pé, orelha ou rabo de porco. E propositadamente fiz um pouco a mais, pois como sabemos, a feijoada, no outro dia, aquecida ainda é melhor! 

Este prato por si só, já é económico, mas a ausência da carne ainda diminuiu mais o seu custo.

Poupança de tempo, energia, recursos e vidas de animais!
Esbanjamento, só de alimentos saudáveis e brincadeiras.
Terror, só nos filmes e disfarces.
Doce ou travessura?

Feijoada Vegetariana(para 2 pessoas)
1 cebola pequena
2 dentes de alho
1/2 pimento
1 chuchu
1 cenoura (usei amarela)
1 tomate maduro(ou molho de tomate caseiro)
1/2 naco de seitan (125 grs)
1 mão cheia de repolho em juliana
1 1/2 chávena de feijão cozido
Azeite, 1 folha de louro, sal, pimenta preta, noz moscada, açafrão e cominhos
(Chouriço de soja, não usei, mas ficaria óptimo)
Para o acompanhamento:
Arroz branco
Mistura de couves diversas salteadas (galega, penca, acelga e espinafres)
Laranja às rodelas(importantíssima fonte vitamina C para captar o ferro do feijão e couves)

Preparação:
Pique a cebola e o alho para um tacho. Acrescente a cenoura, o pimento e o chuchu cortados em cubinhos. Regue com um fio de azeite e leve ao lume até a cebola dourar. Acrescente o seitan cortado em pedaços. Junte o tomate, ou molho caseiro, que foi o que usei, o louro e restantes temperos a gosto. Cubra com a tampa e deixe estufar até que o seitan esteja tenro, se necessário junte água aos poucos. Do feijão, retire 2 colheres de sopa e reserve, junte o restante à mistura do tacho. Esmague com um garfo os feijões que reservou e junte ao preparado, para que o caldo torne-se mais apurado. Quando estiver quase pronta, junte o repolho, mexa e desligue. Deixe descansar 5 minutos antes de servir.
Para o acompanhamento, arranje os diversos tipos de couves e corte as folhas maiores em juliana, não muito fina. Aqueça uma frigideira, acrescente um fio de azeite e 1 dente de alho picado. Junte a couve, deixe murchar, tempere com sal e pimenta preta e sirva.

domingo, 2 de Outubro de 2011

Dobrada vegetariana

Mais uma Amizadeia, isto é, uma ideia de amiga, ou ideia amiga que foi concretizada na minha cozinha. Esta série começou com a Rute, e foi nesta publicação e no comentário da Isabel Matos  que eu me inspirei para o almoço de hoje. 
A dobrada ficou magnífica, bem apurada e até o aspecto ficou parecido com a original e aquecida ainda ficou melhor, como é habitual nas feijoadas. Vai ser um prato a repetir com certeza porque até os mais cépticos gostaram do resultado. O acompanhamento, em vez do habitual arroz branco, foi arroz integral e salada verde com tomate.
A sobremesa, foi também vegan, já publicada aqui hoje. Tudo se conjugou para um almoço delicioso e saudável. E rápido de fazer e de digerir, para nos deixar bem dispostos para esta dobrada de Verão.

Mas o melhor de tudo foi saborear este prato sem culpas, sabendo que nenhum animal foi sacrificado para que eu me alimentasse. 

Ingredientes(para 4 pessoas):
2 chávenas(chá) de feijão branco cozido
1 cebola média picada
2 dentes de alho picados
2 colheres(sopa) de azeite
1 cenoura grande cortada em cubos
1/2 pimento verde em tiras
200grs de cogumelos pleorotus cortados em tiras grossas
1 chouriço de soja (opcional)
4 colheres(sopa)de molho de tomate(usei caseiro)ou 1 tomate grande sem pele picado
folhas de couve sabóia ou repolho q.b.cortadas em juliana
Sal, pimenta preta, cominhos em pó, caril e 1 folha de louro.
salsa e cebolinho 
Preparação:
Num tacho verta o azeite, junte a cebola, o alho picado, o chouriço de soja (se utilizar), o pimento, a cenoura e a folha de louro. Leve ao lume e deixe amolecer a cebola. Junte os cogumelos cortados em tiras. Em seguida adicione o molho de tomate (ou o tomate picado). Deixe apurar um pouco e junte o feijão branco. Se necessário, adicione água a ferver. Tempere, tendo o cuidado de usar os cominhos e caril com cuidado, é melhor colocar pouca quantidade de cada vez. Se achar que o caldo está pouco apurado, retire cerca de 2 colheres de sopa de feijão e esmague-o, juntando novamente ao tacho. Quando a dobrada estiver quase pronta, junte a couve e deixe levantar fervura. Rectifique temperos e desligue. Polvilhe com salsa e cebolinho picados.
Sirva com arroz integral solto, e se quiser salada.

quinta-feira, 1 de Setembro de 2011

As migas deliciosas das amigas

Embora não seja uma blogagem colectiva, quase parece, e eu como estou  a ficar viciada nestas andanças, alinhei nesta Amizadeias e em bom tempo o fiz, porque estas migas ficaram um verdadeiro manjar! Há tempos que um prato não me dava tanto prazer a comer! 
E a história foi assim: A Belocas, do Iguarias Caseiras lançou o mote, a Claúdia na Cozinha repetiu a façanha a Rute viu, gostou e partilhou e eu fui atrás do comboio. É assim, nas Amizadéias, tipo bola pinchona espalhando ricochetes de inspiração pelo país de Sul a Norte e quem sabe para fora daqui...

Foi assim que eu fiz - hoje foi só pra mim :)
Coloquei uma frigideira anti aderente ao lume, deitei um fio de azeite, cortei pra lá 1 cebola pequena às meias luas, 1 pimento vermelho pequeno às tirinhas fez-lhe companhia e  para alegrar a festa juntei 1 tomate maduro sem casca aos quadradinhos, deixei-os chiar e estufar. Seguiram-se 2 batatas médias cortadas em palitos não muito grossos. E estufaram mais um bocadinho e trocaram sabores.
Acrescentei um toque oriental com molho de soja. Quando a mistura começou a secar juntei água a ferver e deixei cozinhar. Fui provando e temperando com sal, pimenta e uma pitada de açúcar para reduzir a acidez e juntando borrifos de água a ferver. Quando as batatas começaram a amolecer (tem de se ter um pouco de paciência!) fui amassando-as com um pisador(pode ser com as costas da colher ou garfo). 
A mistura já estará mais sequinha e compacta. Adicionei uma mão cheia de espinafres, que cobriram tudo e gostei, como gosto sempre do milagre de os ver murchar. Achei que ainda faltava algo, porque não me apeteceu fazer mais nada para acompanhamento e eu já estava a desmaiar de fome(almocei uma sopa em pé, ninguém merece!), juntei então um bocadinho de feijão cozido(cerca de 1 chávena de café). 
Mexi, apaguei o lume, deitei no prato com um restinho de salada crua, tirei as fotos e ao ataque: hummmm! A chuva a cair e eu a deliciar-me com este pratinho, ainda espantada em como ingredientes tão simples podiam resultar numa coisa tão boa e confortável!

Obrigada, Amigas!