quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Compotas e doces

Eu adoro compotas, principalmente ao pequeno almoço e tenho de ter sempre um frasquinho em casa. Fazer compotas não era comigo, não por falta de vontade, geralmente não me calhavam bem: ou era pouco açúcar e ao fim de pouco tempo ganhavam bolor, ou era açúcar demais e ficava uma massa tão pegajosa que até o recipiente ia para o lixo, ou passava do ponto ou não ficava no ponto... Mas como eu  sou teimosa, nunca desisti...até que descobri a pasteurização(obrigada, Pasteur!). Agora faço as compotas como gosto,aproveitando as frutas da época e experimentando novas combinações,  nunca mais comprei nenhuma das misturas insípidas do supermercado. 
Vou deixar-vos então aqui a maneira como as faço: normalmente uso 1/2kg de açúcar para 1 kg de fruta  descascada e limpa(para mais ácidas ponho um pouco mais), junto sumo de limão para ajudar a ganhar ponto(1 a 2 colheres de sopa), canela em pau e cravinho da Índia(um dia destes vou experimentar cardamono e gengibre). Esta mistura fica a repousar no tacho(de inox) até ganhar "sumo". Levo ao lume mexendo de vez em quando com colher de pau até dar ponto. Para mim "o ponto" é  sentido um bocado no "ouvido", quando passo a colher e ouço aquele barulhinho que parece que o doce vai pegar ao tacho desligo o lume. Coloco o doce em frascos(normalmente reutilizados) que esterilizei, deixando-os de molho em água a ferver. Quando o doce esfriar completamente, tapo os frascos. Passo à fase da pasteurização: coloco os frascos num tacho, com um pano à volta para não se partirem,  encho o tacho com água a ferver(coloco água quente primeiro, para evitar o choque térmico) até cobrir os frascos por cerca de 2 dedos e leve ao lume para ferver 20 a 25 minutos. Os frascos permanecem no tacho até esfriar ou tiro-os para fora. O resfriamento do conteúdo cria um vácuo que preserva o doce por muito tempo, cerca de um ano, embora aqui em casa nunca duraram tanto tempo...porque foram comidos antes...
Algumas combinações que já experimentei: Abóbora com cravinho e canela(com nozes, ou amêndoas, ou pinhões, ou avelãs), Marmelo com avelãs, maçã com tamarilho, abóbora com ruibarbo, quivi com cravinho e canela(surpreendente), maçã com cravinho e canela.
Normalmente quando uso um fruto que não sei se vai dar ponto, junto com maçã, que tem muita pectina e é um fruto "discreto" que deixa os outros sabores sobressaírem.
Vale a pena fazermos compotas em casa, para nosso consumo e para oferta, até para o Natal, ainda há tempo...

1 comentário:

  1. boa ideia, eu tb já ando a preparar algumas coisas p o Natal

    ResponderEliminar